Lançamento do EP “Casa”

As musicistas trabalharam juntas na residência artística Zona LAMM durante três semanas, entre 23/10 e 12/11  de 2016, em Belo Horizonte

EP mistura realidades vividas por mulheres na Colômbia, Argentina e Brasil e experimenta com diversos ritmos musicais

Além do lançamento em rádios, as cinco faixas do EP serão disponibilizadas no site altnewspaper e nas plataformas Bandcamp, SoundCloud e Spotify

Várias musicistas e uma só voz: a da mulher latinoamericana. Isso é o que traz o EP “Casa”, que será lançado na próxima quarta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher. O lançamento será feito na Internet, no site altnewspaper; nas plataformas Bandcamp, SoundCloud e Spotify; e em rádios no Brasil e na Colômbia.

As músicas do EP são resultado do trabalho de mulheres da Colômbia, Argentina e Brasil, que participaram da Zona LAMM – Laboratório de Artes Musicais para Mulheres, residência artística realizada em Belo Horizonte, entre os dias 23/10 e 12/11 de 2016. A ideia do projeto foi convidar à interação mulheres artistas de países latino-americanos com trabalhos e pesquisas em diferentes universos da música desses países e da produção de música feita por mulheres.

Para a composição da primeira edição da Zona LAMM, em Belo Horizonte, foi feita uma convocatória, dividida em duas etapas: uma aberta a musicistas de países fronteiriços com o Brasil e que compõem o Programa de Fomento das Músicas Ibero-americanas – Ibermúsicas, e uma para artistas que vivem em Belo Horizonte e Região Metropolitana. O processo de curadoria buscou compreender um pouco da diversidade da música produzida por mulheres na América Latina, desde as músicas tradicionais, especialmente as de matrizes africanas e indígenas, até a música eletrônica experimental.

“A Zona LAMM surge na cena musical de Belo Horizonte inspirada por ações que as mulheres vem promovendo na cultura e na política nos últimos tempos, nos coletivos, nos grupos, nas ruas, nos palcos, nas redes sociais. É por acreditar e vivenciar a potência do encontro entre mulheres que decidimos fazer da residência um espaço exclusivo. A ideia era reunir musicistas, videomakers, produtoras e técnicas de áudio numa equipe 100% de mulheres. E esse espaço é por si só de criação e de resistência, não pautamos o feminismo dentro da casa, ele surgiu nas conexões, nas histórias de vida e nos desejos das artistas que participaram da Zona LAMM”, diz Paula Kimo, coordenadora do Projeto.

Durante a residência, as musicistas Diana Restrepo, Orito Cantora, Jenn Del Tambó, Naiara Armendáriz, Nath Rodrigues, Claudia Manzo, além da poeta convidada Nívea Sabino,  trocaram referências estéticas, realizaram laboratórios sonoros e musicais, experimentaram com outras linguagens artísticas e criaram um material inédito combinando os diferentes universos musicais por elas trabalhados em suas trajetórias: o EP “Casa”. Todo o processo foi orientado pela musicista e diretora musical Vanessa de Michelis. Com cinco faixas, o EP conta com três canções autorais – de Nath Rodrigues, Claudia Manzo e Orito Cantora – que tiveram os arranjos produzidos coletivamente na residência; e duas faixas experimentais que articulam loops, poesias, sons de objetos e música eletrônica.

“A residência Zona LAMM foi um encontro de mulheres, de linguagens, de sotaques, de costumes, de caminhos diversos recorridos. Cada uma de nós chegou naquela casa com nossos instrumentos, nossas músicas e toda a vontade de compartilhar aquilo que cada uma de nós trazia como o tesouro mais precioso daqueles caminhos, daquelas terras. Foi assim que sentadas no chão, numa roda, cozinhando, lavando as roupas, bebendo um café, um mate, um tereré; aqueles tesouros em forma de músicas já eram parte da nossa vida cotidiana. Na hora de ir pro estúdio não foi preciso pensar em quais músicas iam ser gravadas, elas já estavam soando”, contou Naiara Armendariz.

O espaço da residência também permitiu a essas mulheres conhecer como o patriarcado funciona em cada realidade e a diferença de trabalhar apenas entre mulheres. “Vimos como é se deixar ser, trabalhar tranquilamente sem precisar se proteger o tempo todo. Como as mulheres se relacionam quando há homens no ambiente, com espaços de competição, e como sozinhas é diferente. Isso foi uma revelação na residência. As conversas sobre feminismo, sobre as questões da mulher, apareciam no dia-a-dia”, explica Naiara Armendariz.

As cinco faixas do EP traduzem o que, para as residentes, é ser mulher. E ser música. “A Zona Lamm foi um lugar de intersecção, de cruzamentos e de encontros onde a pergunta sobre o feminino se fez música. Convidadas a um espaço de criação de mulheres a partir de nossas linguagens musicais, cada uma de nós se converteu em espelho das outras. A maior parte das vezes, a música se fez criando pontes e laços. Ser mulher é uma construção permanente, móvel e transformadora”, afirma Diana Restrepo.

No dia 8, também será lançado, na internet, um vídeo documentário do processo de criação, pesquisa e experimentação coletiva que resultou no EP “Casa”. A Zona LAMM é uma parceria entre a Embaixada Cultural e a Oficina de Imagens, com apoio do fundo Ibermúsicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s