OFICINAS ZONA LAMM

Formulário de inscrição: http://bit.ly/2dlPqmC

Local: Mama / Cadela I Rua Pouso Alegre, 2048 – Santa Tereza, Belo Horizonte I MG

 

// TÉCNICA DE ÁUDIO 

29 de outubro, sábado – 11h às 14h

com Flora Guerra (Belo Horizonte I Brasil)

Inscrições até 27 de outubro/2016

Montagem do palco, microfonação, escolha de efeitos, equilíbrio, mixagem: todo o trabalho da técnica de som reflete na obra que a artista imaginou e executou. A técnica de som é quem faz a ponte entre a artista e o público durante as transformações do som. Para isso, é essencial que as duas profissionais tenham confiança e um bom canal de diálogo, conhecendo os papéis e interações possíveis, alimentando ou dosando recursos para se chegar ao melhor.

A oficina apresentará informações e conteúdos técnicos básicos que dizem respeito a processos de sonorização de um show, com a ideia de contribuir para uma maior autonomia e independência da artista e para diálogos mais produtivos com a equipe técnica.

Abordagem: Sistema de sonorização para shows I Equipamentos I Montagem I Microfonação I Passagem de som I Diálogo Artista/Técnica

Flora Guerra I Técnica de som, fundou a produtora de áudio Maré áudio criativo, onde produz conteúdo sonoro para publicidade, audiovisual, acessibilidade e música. De 2012 a 2015, trabalhou como técnica no estúdio Natrilha Produções, onde participou de diversos projetos de publicidade, gravação, mixagem e masterização de discos, edição de som e design sonoro para filmes e animações. Trabalha também fazendo som ao vivo, gravação e edição de áudio para shows e espetáculos.

// LABORATÓRIO DE PALAVRA E SOM 

29 de outubro, sábado – 16h

com Diana Restrepo (Bogotá I Colômbia) e Nívea Sabino (Belo Horizonte I Brasil)

Um experimento surgido pela colaboração entre as artistas Diana Restrepo (Colômbia) e Nívea Sabino (BH/Brasil), desagua em um sarau-laboratório.

Diana Restrepo I Iniciou seus estudos de Percussão em 1985, em Paris. Como percussionista, passou pela interpretação de repertórios clássicos, populares e contemporâneos e por montagens e criações experimentais. Em 2010, sua busca por expandir seu trabalho para além da percussão encontrou a performance e a criação sonora, trazendo para sua música argumentos sobre a memória e o esquecimento, seu principal tema de investigação.

Nívea Sabino I Poeta-slammer (competição de poesia falada – finalista Slam Clube da Luta BH 2015-16), ativista autônoma e educadora social. Realiza intervenções poéticas autorais com a voz e o corpo e, em 2016, lançou seu primeiro livro, INTERIORANA.

Não é necessário inscrever-se previamente. Para participar, traga poesia(s) e objetos que remetam, por alguma razão, à(s) poesia(s). É importante que o(s) objeto(s) emita(m) som.

// CANTOS TRADICIONAIS ARGENTINOS E MÚSICAS DOS POVOS ORIGINÁRIOS

31 de outubro e 01 de novembro, segunda e terça – 19h às 21h30

com Naiara Armendáriz (La Plata I Argentina)

Inscrições até 27 de outubro/2016

A oficina é um espaço de encontro, exploração e desfrute das vozes/corpos. Trabalha-se sobre a relação movimento/som e suas possibilidades, o reconhecimento das nossas vozes, o jogo através da improvisação e a interpretação das músicas como manifestação da cultura. O eixo do trabalho trata-se de um repertório de cantos que se originam na vida cotidiana dos povos do noroeste da Argentina e nas comunidades Mapuche, Mbyá Guaraní e Qom.

*Recomenda-se  que as participantes usem roupas confortáveis.

Naiara Armendáriz I Bacharel em Música formada pela escola de Belas Artes da Universidad Nacional de La Plata e professora de Etnomusicologia formada pelo Conservatório Superior de Música Munuel de Falla (Buenos Aires I Argentina). Aprofundou seus estudos em canto, percussão, piano, dança afro, dança contemporânea, tango e acrobacia e pesquisou músicas de diversas culturas ancestrais do mundo. Hoje, dedica-se especialmente à investigação e transmissão das músicas e danças étnicas e folclóricas da América Latina e África.

// TAMBORES E CANTOS TRADICIONAIS DA COSTA CARIBE DA COLÔMBIA 

05 e 06 de novembro, sábado e domingo – 13h às 17h (horário atualizado)

com Jenn del Tambó e Orito Cantora (Barranquilla I Colômbia)

Inscrições até 03 de novembro/2016

Por meio dos tambores da Costa do Caribe colombiano e cantos autóctones colombianos, a oficina apresentará ritmos tradicionais como: Cumbia, Bullerengue, Chande o Garabato, Chalupa, Puya Barranquillera, Fandango e’ Lengua, Tambora Tambora, Berroche, Guacherna, Chande Pascuero, Mapalé, Gaita, Porro, Merengue, Champeta, Son palenque, Berroche, Jalao, Jorikamba.

Na instrumentação também serão apresentados a Tambora, o Tambor Alegre de Gaita y del Atlántico, o Tambor Llamador de Gaita y llamador del Atlántico, Maracas colombianas e Guache. Nos cantos tradicionais será trabalhada a afinação, a técnica tradicional de cada região, e canções e ritmos afins. As dinâmicas serão realizadas por meio de onomatopéias e notações musicais, a partir da metodologia do professor Istvan Dely.

*Pede-se que as participantes tragam um tambor (de qualquer tipo).

Jenn del Tambó I Percussionista fundadora, coordenadora e oficineira da ‘Fundación Red de Tamboreras de Colombia’, tem como base de sua pesquisa e criação as músicas afro-indígenas do caribe colombiano. A musicista carrega em seu trabalho a mensagem de cura, reparação dos tecidos culturais e igualdade de gênero, por meio dos coros e ritmos tradicionais.

Orito Cantora I Cantautora e percussionista folclórica da Barranquilla I Colômbia, com pesquisa há mais de 17 anos em músicas tradicionais. Com diversas participações em festivais, conferências, feiras, oficinas e outros eventos de música nacionais e internacionais, desenvolve em sua trajetória o foco na música afro-colombiana.

*Todas as oficinas são gratuitas e voltadas para mulheres.